Núcleo do Seixal – Palestra «Quando a História vem à escola»

0
404
No âmbito das comemorações dos 50 anos do 25 de abril, o Núcleo do Seixal da Liga dos Combatentes promoveu, no passado dia 2 de maio de 2024, na Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira, no Seixal, uma palestra a cargo da Associação Salgueiro Maia (ASM).
A palestra contou com a presença do Coronel Ref. Andrade e Silva, presidente da ASM e do Coronel Ref. Maia Loureiro, que na primeira pessoa, recordaram o Dia da Liberdade e o “…amanhecer radioso, saído da noite escura”.
Estiveram presentes, a pedido da Direção da Escola, o Presidente da Câmara Municipal do Seixal, Dr. Paulo Silva, e a Presidente da Junta de Freguesia do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, Maria João Costa.
Toda a Escola se mobilizou para receber a ASM e com o apoio dos meios informáticos, foi possível fazer um direto da palestra, para toda a comunidade escolar, a partir da biblioteca da escola, para todos os alunos e professores, que se encontravam nas várias salas de aula.
As várias intervenções foram no sentido da descrição e explicação pormenorizada de um dos momentos mais importantes da nossa História, perante uma audiência de alunos que pertencendo a uma geração muito para além do 25 abril, não deixa de ter noção da importância da revolução, para a consolidação de uma sociedade que vive hoje em Liberdade.
Momento alto foi a alusão ao Capitão Salgueiro Maia, ao Homem e ao Militar, um dos pilares do sucesso de toda a operação, e o seu contributo essencial e decisivo na intervenção, nos incidentes quer no Terreiro do Paço quer no Quartel do Carmo, contributo que, fruto de uma capacidade de liderança e sangue-frio, levou ao levantamento de um povo em “euforia e contentamento nunca antes vistos”, sem o derrame de sangue.
Para completar o quadro de experiências e relatos, o Núcleo do Seixal, contou com a participação dos nossos sócios Fernando Pólvora, Amílcar Marques e João Chora, que com as suas experiências em Teatros de Operações de Angola, Guiné e Moçambique, contribuíram para o relato de experiências, de quem viveu de perto a guerra, e quem pode transmitir aos mais novos, os horrores de uma situação “que jamais se poderá repetir!”.
A finalizar esta palestra, a atuação de Manuel Gaspar, compositor e cantor que interpretou as canções “Gaivota”, “Pedra Filosofal”, e “Grândola Vila Morena”, canções de intervenção, sempre atuais e repletas de aprendizagem e significado, que enquadram bem o momento histórico em que foram produzidas.
A todos o bem-haja pelo contributo e apoio dados, certos de que, todos estamos convictos de ter contribuído para a transmissão e ensinamento a toda uma geração mais nova, da importância dos valores e do caráter de todos os “Capitães” que “acabaram com o estado a que isto chegou” e possibilitaram hoje viver em liberdade.”.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui