No dia 16 de maio de 2021 o Núcleo do Seixal da Liga de Combatentes comemorou o seu 8º aniversário. Do programa das comemorações constou uma missa de sufrágio pelos antigos combatentes, que decorreu na Igreja do Seixal, da responsabilidade do Padre António Estevão, seguindo-se uma singela cerimónia na Praça dos Mártires da Liberdade, no Seixal, junto ao Monumento que homenageia os Antigos Combatentes do concelho.
A Cerimónia foi presidida pelo Secretário-Geral, Cor Lucas Hilário, em representação do Presidente de Liga dos Combatentes, TGen Joaquim Chito Rodrigues, e contou com a participação de algumas entidades locais, nomeadamente o Presidente da União de Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires, António Santos e o Presidente da Junta de Freguesia de Amora, Manuel Araújo. Contámos ainda com a presença dos associados do Núcleo, em número limitado devido às restrições sociais em vigor, assim como de uma delegação da Ordem dos Grifos63, que ajudaram a enaltecer as comemorações.
Do programa da Cerimónia constou uma Homenagem aos Mortos em Combate ao serviço da Pátria, entrega de Louvores e Medalhas de Bons Serviços a sócios, nomeadamente o Major Luís Lopes, o SMor Carlos Morais, Fernando Pólvora (Porta-guião do Núcleo) e Caio Roque, que pelos serviços prestados em prol do Núcleo, mereceram o público reconhecimento dos mesmos, seguindo-se a entrega de lembranças à União de Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires e à Freguesia de Amora, como público agradecimento pelo apoio prestado ao Núcleo do Seixal ao longo dos seus oito anos de existência.
Para finalizar, o Presidente do Núcleo, TCor José Monteiro, proferiu uma breve alocução relativa à efeméride, seguindo-se uma alocução pelo Cor. Lucas Hilário em que enalteceu os sacrifícios e as dificuldades suportadas pelos Combatentes Portugueses, e pelas suas famílias, ao serviço da Pátria, a par da importância da Liga de Combatentes no apoio aos mesmos.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objetivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de ações de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a proteção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objetivos, nomeadamente no que respeita à adoção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por atos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e direto dos seus associados.

Artigo anteriorViseu – Inauguração de Monumento aos Combatentes do Ultramar – Oliveira de Frades
Próximo artigoPresidente da República em visita à Guiné-Bissau
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objetivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de ações de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a proteção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objetivos, nomeadamente no que respeita à adoção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por atos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e direto dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here