O Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes celebrou no passado dia 09 de abril de 2021, o 103º Aniversário da Batalha de La Lys, o Dia Nacional do Combatente, bem como, o 100º Aniversário da fundação da Liga dos Combatentes, com uma pequena cerimónia de evocação e homenagem, junto ao Monumento do Combatente.
Esta efeméride realizou-se, tendo em consideração todas as restrições impostas pela vigência do quadro da Pandemia e das normas da DGS para A Covid19, implicando condicionamentos que não se coadunam com cerimónias evocativas nas linhas tradicionais, determinando que esta singela, mas muito significativa evocação, foi limitada no número de presenças.
A cerimónia, uma solenidade simples, mas de especial significado foi presidida pelo 2º Cmdt do Regimento de Cavalaria 3 – TCor Cavª Luís Mourato Gonçalves, tendo como participantes o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz – Dr. Francisco Ramos; Presidente da União de Freguesias de Santa Maria/Santo André – José Maria Ginga Ginja; a direção da Residência S. Nuno de Santa Maria – SMor Vítor Caldeira; Associação Cultural e Recreativa dos Marinheiros – SAj Francisco Cuco; Associação de Comandos – Joaquim Patrício, bem como, os elementos constituintes da Direção do Núcleo de Estremoz.
O Presidente da Direção, TCor. de Cavª João Carlos Marçal Verdugo, agradeceu a presença a todos, destacando e dando especial relevo nas palavras que proferiu, ao acontecimento mais marcante da nossa participação na Grande Guerra: – A Batalha de La Lys, abordando o Centenário da fundação da Liga dos Combatentes e do Dia Nacional do Combatente.
Nesta efeméride e neste ano anormalmente atípico, foram depositadas coroas de flores pelas diversas entidades presentes, não deixando assim de homenagear e evocar, todos aqueles que tombaram no cumprimento do dever pela Pátria.
Os presentes sentiram que a Liga dos Combatentes tem valores permanentes e está em todas as frentes!
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Partilhe!
Artigo anteriorPinhal Novo – Cerimónia do Dia do Combatente
Próximo artigoGouveia – Cerimónia do Dia do Combatente
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here