WINNIPEG  –  Dia do Armistício

0
157
O Núcleo da Liga dos Combatentes em Winnipeg (Canadá), comemorou o 102.º Aniversário do Armistício, o 99.º Aniversário da fundação da Liga dos Combatentes e a Invocação do 46.º Aniversário do Fim da Guerra do Ultramar.
O Evento decorreu junto do Monumento de Homenagem aos Combatentes por Portugal, na capital da Província de Manitoba-Winnipeg, junto do qual se situa um talhão de Combatentes e famílias.
O programa da Cerimónia contemplou o  IÇAR   DAS   BANDEIRAS, uma Homenagem aos  MORTOS   POR   PORTUGAL,  Alocução de Circunstância  e   deposição de uma coroa de flores.
A Coroa de Flores foi depositada  pelo General Dennis Tabbernor, que a recebeu das mãos do nosso  Cônsul, Paulo Jorge Cabral.
O ato foi presidido pelo Cônsul de Portugal, Dr.Paulo Jorge Cabral e ao mesmo compareceram elementos da Direção do Núcleo e  Entidades Convidadas:
– MGen Dennis Tabbernor Presidente de Honra do Núcleo.
– Pedro Correia, Presidente do Núcleo.
– Coronel Joel Roy, sócio e Presidente da Assembeia-geral.
IÇAR  DAS  BANDEIRAS:
– Pedro Correia, Presidente do Núcleo
– Luís Vicente, Vice-presidente do Núcleo
– Albino Felizardo, Tesoureiro
– Carlos Oliveira, sócio combatente
Devido à pandemia da Covid19, houve mais presenças, mas cumpriram-se as distâncias de 2 metros e alguns Combatentes permaneceram nos seus carros e todos com as máscaras…
Alcides Almeida, Sócio e diretor, Leonel Vieira, sócio e diretor, Paulo Oliveira, sócio e secretário do Núcleo, Fátima de Sousa, fotógrafa do Núcleo e Viúva de Carlos Sousa, combatente.
Ainda presente Tony Soares que filmou um vídeo para apresentar no Show Cable TV.  João Pedro Correia, Técnico de Som e Coordenador da Cerimónia,  Mia Sally Correia Editora e Diretora do MUNDIAL Navegante Cultural, Magazine bilingue da Comunidade.
DISCURSOS:
– Sócio  Honorário do Núcleo M.General Dennis Tabbernor.
– Consul de Portugal: Dr. Paulo Jorge Cabral.
– Coronel Joel Roy: Presidente da Assembleia Geral.
– Pedro Correia: Presidente do Núcleo e Fundador.
Foi uma cerimónia de muito patriotismo e apesar de tão longe, sempre recordamos a Pátria que nos viu nascer e a honramos nestas datas evocativas…

Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorViseu – Dia do Armistício
Próximo artigo102º Anivº da Assinatura do Armistício, 99º Anivº da LC e 46º Anivº do Fim da Guerra do Ultramar
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here