Em honra, memória e respeito pelos Combatentes falecidos e inserida no Programa Estruturante da Liga dos Combatentes “Conservação das Memórias”, o Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, realizou no dia 5 de novembro de 2020, uma Romagem de Homenagem e Evocação aos Combatentes falecidos, sepultados no Talhão e Ossário da Cidade de Estremoz, no Ossário da Cidade de Borba e no Talhão da Vila de Fronteira.
Na cidade de Estremoz contámos com a presença do Cmdt do Regimento de Cavalaria 3, Coronel Cavª Jorge Manuel Guerreiro Gonçalves Pedro, do vereador da Câmara Municipal de Estremoz, Arquiteto José Trindade, com a seguinte sequência: Breves palavras proferidas pelo Presidente do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, TCor Cavª João Verdugo, alusivas ao ato, seguidas da deposição de ramos de flores. Após este ato religioso, seguiram-se alguns momentos de silêncio, em memória e sinal de respeito pelos nossos Combatentes.
Na Cidade de Borba além da Direção do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, esteve presente o vereador da autarquia – Quintino Rodrigues, o que muito nos honrou. Depois de breves palavras por parte do Presidente do Núcleo e do vereador da autarquia, foram depostas coroa e ramo de flores no Ossário e na placa com os nomes dos militares do Concelho falecidos no Ultramar.
Na Vila de Fronteira, homenageamos aqueles que repousam no Talhão dos Combatentes no cemitério da Vila, com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Fronteira – Manuel Neves. Usou da palavra o Presidente do Núcleo de Estremoz seguidamente procedeu-se à deposição de um ramo de flores e guardado um minuto de silêncio em memória dos que repousam no Talhão dos Combatentes do cemitério de Fronteira.
Prestámos assim a justa, respeitosa e honrosa homenagem a todos aqueles que descansam em paz, nos Talhões e Ossários da Liga dos Combatentes nas três localidades anteriormente referidas.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorSeixal – Dia de Finados
Próximo artigoViseu – Dia do Armistício
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here