SER MILITAR, por Teresa Lamas

5
2534
Meus senhores, conhecedores e não conhecedores do MUNDO MILITAR:
Não costumo ser muito destas coisas… mas já me fartei de ouvir “bocas” porque “os meus amigos” fazem um desfile de manifestação, quando não têm direito… bem…
Aqui vai um pequeno exemplo, para quem diz que os MILITARES auferem o mesmo que um médico e um professor ou juiz e para aqueles que falam mal das suas funções, sem conhecimento de causa, ou com conhecimento longínquo, do “tempo das vacas gordas”.
Um MILITAR não faz greve por ter de ficar 24 horas no quartel, a assegurar-se de que a força estará operacional para uma catástrofe civil no Domingo de Páscoa, no aniversário do Filho, da Mulher, da Mãe, de Casamento, no dia do Pai, no dia da Mãe, na noite de Natal, na Passagem de Ano! Para isso, usa o seu ESPÍRITO DE CORPO!…
Um MILITAR não faz greve por ter de andar à chuva com as mãos sujas a limpar o esterco e o entulho das casas assoladas pelas intempéries, enquanto os donos, vizinhos, familiares e amigos ficam a olhar! Um MILITAR não faz greve porque alguém lhe ordena passar dias no mato a patrulhar, vigiar e limpar as matas queimadas pelos otários que passam incólumes e a rir em frente às notícias de Verão, com um maço de notas no bolso! Para isso, usa a sua SOLIDARIEDADE!
Um MILITAR não faz greve por ser mandado pró outro lado do Mundo sem ter vontade, porque vontade é algo de que o MILITAR se aliena no momento em que coloca uma boina! Para isso, usa a sua ABNEGAÇÃO!
Um MILITAR não faz greve porque fica sem subsídios, ou porque lhe retiram anos à sua “normal” progressão na carreira, ou porque fica sem 200 ou 300€ no ordenado, ou porque desconta quase metade do ordenado, ou porque se lhe mudam as regras do jogo a meio ano do fim do seu contrato, ou porque mora a 400Km do sítio onde trabalha e tem de gastar 200€ por mês para poder ver a sua família ao fim de semana! O MILITAR não deixa de ir trabalhar todos os dias com a mesma vontade! Para isso, usa o seu SENTIDO DO DEVER!
Um MILITAR não faz greve porque o chefe acorda mal disposto e lhe diz que não vale nada e que não está a fazer nada naquele mundo! Para isso, usa a sua DISCIPLINA!
Um MILITAR não faz greve nem sequer pensa, quando está um civil em apuros, seja na rua durante um assalto, seja numa tentativa de suicídio em frente a um comboio, ou seja em ALTO MAR! Para isso, usa a sua CORAGEM!
Um MILITAR não faz greve só porque não gosta do seu Presidente, do seu Primeiro-Ministro, do seu Ministro da Defesa…

Para isso, usa a sua LEALDADE!

Um MILITAR não faz greve porque toda a gente faz greve. O MILITAR age sempre com a consciência do reflexo que a sua quota-parte de Atitudes tem na comunidade em que se integra. Para isso, usa a sua HONRA!
Um MILITAR não faz greve de serviço nem do seu amor à Pátria! Não faz greve de retirar o seu chapéu cada vez que passa pela sua linda Bandeira Nacional nem de cantar “A Portuguesa” com um arrepio no corpo inteiro e com a lágrima no olho, sejam 10, 100 ou 1 milhão de vezes que a ouça! Um MILITAR não faz greve nem renuncia ao seu amor a PORTUGAL! Para isso, usa o seu PATRIOTISMO!
Um MILITAR não faz greve nem despreza a sua moralidade e justiça! Para isso, usa a PROBIDADE!
Caros Senhores… Um MILITAR formula um Juramento de Honra para com a Pátria que lhe deu um Lar, um Nome, uma Família, uma Cultura… o MILITAR é Eternamente Grato e sente-se Honrado por seguir a sua Vida e Carreira segundo os trâmites de um Código de Valores, que não existe em papel, não se rasga qual código de ética!
Um MILITAR Vive sempre em constante paradoxo! O MILITAR é treinado para uma coisa que espera nunca fazer! Combater! Mas caso o faça e tombe em Defesa dos seus… fá-lo-á com o maior ORGULHO!
Estas são as únicas 10 armas que o MILITAR usa… todos os dias… as Virtudes que são tão Suas!
Acredito e sei que existem os que não se guiam por estes Valores mas, embora numa pequeníssima minoria, acabam por ser cuspidos pela força da Verdade. E no fundo, o pedreiro, juiz, professor, médico que não conheça um colega assim, que atire a primeira pedra!
Por falar em colega… esta é só mais uma das singularidades do MILITAR… não tem colegas, mas sim Camaradas!
Mesmo com todas estas singularidades, o MILITAR não Recusará NUNCA fazer o que for preciso para poder continuar a ser PORTUGUÊS e Lutar para ver o Sorriso de qualquer Desconhecido da sua Nação, como se fosse da sua Familia. Porque para nós, MILITARES, PORTUGAL É UMA FAMÍLIA!
Assim… de uma vez por todas, Estudem, Leiam, Perguntem antes de terem diarreias mentais sobre coisas que não conhecem minimamente! A tropa existe para TODOS, só não se Alistam se não quiserem caros IGNORANTES.
Vamos dar a volta a isto, começando pela Consciencialização,

FORÇA CAMARADAS, FORÇA PORTUGAL !…

Desta vez Lutamos contra um Inimigo não Declarado, Invisível, Tenebroso, Desleal, mas NADA NOS DEMOVE.

Podemos não Voltar, mas Vamos.

Bom dia a todos!

Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Partilhe!
Artigo anteriorCOVID-19 – Linha de Apoio das Forças Armadas
Próximo artigoVila Franca de Xira – Entrega de Géneros Alimentícios à Cáritas
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

5 COMENTÁRIOS

  1. Fui militar do exército até 1996, altura em que ingressei noutras “fileiras” desta vez da Ordem Pública. Revejo-me totalmente nas suas palavras e acrescento è urgente elevar novamente o nome da Pátria. Hoje os jovens não conhecem a nossa história, que todos nós escrevemos com sangue suor e lágrimas

  2. Camarada TERESA LAMAS – Parabéns pelo seu depoimento.
    Quando se é Militar é para sempre que se é. Por isso NÃO ENTENDO a expressão tantas vezes usada de EX-MILITAR. Nunca o serei porque nunca fui “Ex-coisa alguma”. Por isso recuso o que andam por aí a acenar com um Cartão a que chamam de Ex-Combatente. Impingem-nos migalhas quando nos devem sentimentos de HONRA e DIGNIDADE.
    José Caniné

  3. Fui Miliciano Contratado do Exército, durante 6 anos – 1975/1981.
    Recordo os direitos e deveres, assim como, o saber ser, saber saber e saber estar, que devem reger a conduta do militar e seus Companheiros de Armas.
    O ” modus vivendi et operandi” na vida castrense, não se compadece com preciosismos que regulam a sociedade civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here