Beja – Visita à Quinta da Atela

0
424
O núcleo de Beja proporcionou aos seus associados, no dia 29 de janeiro de 2020, um passeio convívio à Quinta da Atela, em Alpiarça.
A comitiva contou com a presença de dois graduados do Regimento de Infantaria N.º 1 e de dois graduados da Base Aérea N.º 11, facto que permitiu o encontro dos militares do passado com os militares do presente. A socialização de duas gerações distintas de militares, ajudou a que todos pudessem perceber os papéis sociais que uns desempenharam, no passado, e a missão que os mais novos desempenham atualmente.
À semelhança de outros eventos, realizado pela direção do Núcleo de Beja, a visita à quinta da Atela decorreu de forma, extremamente, animada. O Cante Alentejano, como não poderia ser de outra forma, marcou presença ao longo de toda a viagem.
Esta visita, além de proporcionar, aos associados do núcleo, um extraordinário convívio, possibilitou que os mesmos pudessem conhecerem um esplendoroso espaço e, ao mesmo tempo, compreenderem, com aprofundado detalhe, toda a envolvência inerente à produção vinícola. A apresentação do processo produtivo do vinho, feita com esmerado profissionalismo, ficou a cargo do Enólogo da empresa, Eng.º Luís Guimarais.
Durante a visita, os cantadores dedicaram algumas modas aos colaboradores da Quinta, nomeadamente, a Susana Mateus e ao Eng.º Luís Guimarais, também ele um combatente.
Para além do maravilhoso passeio, merece especial destaque a forma acolhedora como fomos recebidos pelos responsáveis da Quinta da Atela. Esta empresa, em parceria com a Liga dos Combatentes, procedeu ao lançamento do vinho La Lys, em homenagem aos combatentes da Primeira Guerra Mundial.
A visita terminou com um excelente almoço acompanhado do admirável vinho La Lys.
A todos os que tornaram possível este evento, com especial relevo para a Direção Central e para a Administradora da Quinta da Atela, Anabela Tereso, o nosso sincero obrigado.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorVila Franca de Xira – Escritura de doação da Sede do Núcleo
Próximo artigoMDN Dr. João Gomes Cravinho visita Núcleo de Lamego
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here