A 15 de Novembro de 2019, realizou-se no Forte de São Brás a Cerimónia Evocativa do 101.º Aniversário do Armistício da I Guerra Mundial, 45.º Aniversário do Fim da Guerra do Ultramar e 98.º Aniversário da Fundação da Liga dos Combatentes.
Na Região Autónoma dos Açores (RAA), as comemorações esteve a cargo do Núcleo das Ilhas de São Miguel e Santa Maria da Liga dos Combatentes. O Comando Operacional dos Açores (COA) garantiu a participação de uma Força Militar dos três ramos das Forças Armadas. Estiveram presentes na cerimónia entidades Civis, Militares, e das Forças de Segurança, e ainda a presença de Antigos Combatentes, Familiares e amigos.

PROGRAMA:
10h00 teve início a I parte da cerimónia na sala da I Guerra Mundial do Museu Militar dos Açores:
Alocução pelo Presidente do Núcleo das Ilhas de São Miguel e Santa Maria da Liga dos Combatentes, Manuel da Cruz Marques; Conferência proferida pelo Coronel José M. Salgado Martins “Os Açores na I Guerra Mundial, algumas interrogações”.
Entrega de Diplomas. Recebeu o Diploma de Sócia Benemérita a Dr.ª Berta Cabral (Programa “Dos Avós aos Netos”).
Receberam o Diploma de Sócias: Catarina Sousa Pádua; Inês Pádua Ferreira e Dalila Carla Barbosa Sebastião.
11h00 Início da 2.ª parte da cerimónia junto ao monumento aos marinheiros mortos, na I Guerra Mundial no Jardim Tenente-coronel Francisco Borges da Silva.
Deposição de coras de flores; Homenagem aos militares falecidos; Alocução pelo presidente da Direção Central da Liga dos Combatentes, Tenente-general Joaquim Chito Rodrigues e Imposição de condecorações;
Medalha Comemorativa das Campanhas:
João Ferreira da Silva (Angola, 1961-63); Manuel Francisco Moniz Simas (a título póstumo) Recebeu o filho Tiago Filipe Sampaio de Simas. (Guiné, 1964-66); Carlos Alberto Almeida Soares Macedo (Guiné 1970-72); Henrique Eduardo de Medeiros Gago da Câmara (Guiné 1970-72) e António Manuel Silva Gomes (Moçambique, 1973-74).
Medalhas da Liga dos Combatentes:
Foi atribuída a título póstumo a Medalha de Mérito Grau Ouro ao Professor Doutor Carlos Alberto da Costa Cordeiro, recebeu a condecoração, a sua Esposa.
Foi atribuída a Medalha de BONS SERVIÇOS Grau Cobre ao Senhor Eduardo Alberto Fortuna Corvelo, recebeu a condecoração, a sua filha Romina Paula Corvelo.
Fim da cerimónia.
Fotos do camarada Manuel Botelho
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorElvas – Dia do Armistício
Próximo artigoMunicípio de Estarreja homenageia Combatentes
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here