No passado dia 27 de setembro, o Núcleo de Cantanhede da Liga dos Combatentes, esteve presente nas Comemorações do 209.º Aniversário da Batalha do Buçaco, no terreiro do monumento, na mata do Buçaco, freguesia do Luso, concelho da Mealhada, distrito de Aveiro. No aniversário desta batalha histórica esteve presente o Diretor de História e Cultura Militar, Major-general Alves Flambó, que presidiu às cerimónias Militares, forças militares, a Câmara Municipal da Mealhada, várias figuras de relevo locais,
os nossos Combatentes, familiares e amigos que nos acompanharam e assistiram as comemorações com dignidade, elevação e simplicidade, formas de estar própria de ex-militares, que se orgulham de ter servido a sua Pátria. A cerimónia teve o seguinte programa: 09H00-Hastear das Bandeiras Nacionais de Portugal, Reino Unido e França (no terreiro do Monumento); 09H30-Receção no Palace Hotel do Buçaco (concentração); 10H00-Cortejo Histórico-Militar e Religioso (do museu Militar do Buçaco ao Terreiro do Monumento); 10H20-Força Militar pronta (no terreiro do Monumento); Continência à AE, que preside à cerimónia; Missa Campal (no Terreiro do Monumento);Cerimónia de Homenagem aos Mortos (no Terreiro do Monumento); Palestra alusiva à Batalha do Buçaco, pelo Coronel na Reserva, Américo Henriques (no terreiro do Monumento);
Em dia de comemoração dos 209 anos da Batalha do Buçaco ecoou no Terreiro do Monumento um “Viva o Exército, Viva Portugal”.
Finalizada a cerimónia partimos para o almoço partilhado, onde nada faltou para agradar o estômago. No final do almoço ainda houve tempo para uma visita ao Museu Militar do Buçaco, também à Cruz Alta e passar pelo Luso onde se encontrava a Orquestra Ligeira do Exercito. Um dia repleto de boa disposição, que irá ficar na memória de todos! O balanço é bastante positivo e vontade de partir para uma próxima atividade. O nosso agradecimento a todos quantos tornou este dia num dia diferente!

Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorSantarém – Formação de pilotos da FAP
Próximo artigoErmidas-Aldeia – Monumento de Homenagem aos Combatentes
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here