Loulé – I Encontro de Veículos Militares

0
234
Realizou-se nos passados dias 7 e 8 de setembro o 1.º Encontro de Veículos Militares Antigos do Algarve, no largo do monumento Duarte Pacheco, em Loulé.
Este evento, organizado pelo Nucleo de Loulé da Liga dos Combatentes e com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, contou com a participação de 27 veículos sendo que a Armada Portuguesa participou com duas viaturas, uma Berliet Tramagal e um Unimog 411. O Exército participou com a famosa Chaimite, a GNR participou com dois motociclos antigos, uma BMW e uma BSA, e os bombeiros municipais participaram com um veiculo de combate a incêndios antigos.
De salientar a participação promovida pela Associação Portuguesa de Veículos Militares Antigos, que mobilizou 6 viaturas que se deslocaram de Lisboa para o efeito.
De salientar também, a participação do Núcleo de Modelismo de Loulé, que se aliou ao evento através da exposição de vários modelos.
No dia 7 pelas 09h00 iniciou-se a exposição e às 11h00 teve lugar o desfile das viaturas por algumas artérias da cidade de Loulé. Esse desfile contou com a participação do Tenente-general Chito Rodrigues e do Major-general Fernando Aguda, Presidente e Vice-presidente da Liga dos Combatentes, respetivamente.
Pelas 13h00 teve lugar um Almoço-convívio, no Restaurante Caliço, em Loulé, findo o qual se procedeu à distribuição de lembranças e troféus.
Pelas 19h00 teve lugar um concerto de música tradicional Portuguesa pela “Banda Alhada”, concerto esse que contou com a presença de numeroso público.
No domingo, dia 8, teve lugar um passeio em coluna militar com a participação de 12 viaturas, à freguesia de Alte (cerca de 23 km). Após a chegada fomos extraordinariamente bem-recebidos pelo Presidente da Junta de Freguesia, António Martins, que reunindo o grupo de participantes nos fez uma visita guiada aos locais mais icónicos da freguesia, seguida de um Almoço-convívio no restaurante do hotel de Alte, no qual esteve presente o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Dr. Vítor Aleixo.
Durante a realização de todas as etapas do evento, o apoio da GNR de Loulé foi constante e eficaz pelo que deixamos públicos agradecimentos.
Como balanço, fica apenas a promessa da realização do 2.º Encontro no fim-de-semana de 19 e 20 de setembro de 2020.

Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorLamego – 95.º Aniversário do Núcleo
Próximo artigoLoures – Tomada de Posse
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here