No dia 15 de Agosto de 2019, pela iniciativa da Junta de Freguesia de Toulões, no concelho de Idanha-a-Nova, realizou-se naquela freguesia a inauguração do Monumento de Homenagem aos Combatentes de Toulões, sob a divisa ”Homenagem aos conterrâneos que pela Pátria deram a vida… e a todos os que por ela combateram”.
Na cerimónia estiveram presentes, o SMor Carlos Reis Pio, representante do Núcleo da Liga dos Combatentes de Castelo Branco, bem como o Eng.º Armindo Jacinto, Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, acompanhado pelo ilustre anfitrião o Presidente da Junta de Freguesia de Toulões – Carlos Marcelo, entre outras entidades civis e religiosas.
Descerrada a placa, a entidade eclesiástica procedeu à bênção do Monumento. De seguida teve lugar a deposição de uma coroa de flores, tendo sido prestadas as honras militares como Homenagem aos Combatentes que tombaram ao Serviço da Pátria, com a presença de uma Força do Regimento de Infantaria N.º 15 – Tomar, marcando também presença o Guião do Núcleo de Castelo Branco.
Dos discursos, salientam-se as palavras do Presidente da Câmara Municipal referindo que este monumento, não só representava os ex-combatentes das ex-colónias, mas também os atuais combatentes dos vários teatros de operações espalhados pelo mundo inteiro, em que Portugal se faz representar. O Presidente da Junta de Freguesia ade Toulões referiu que “é um monumento para todos os combatentes e sobretudo em memória dos que já partiram, todos sem exceção serão para sempre imortalizados pelos símbolos que estão inscritos neste Memorial em sua honra. Serão recordados com saudade e reconhecimento pelo serviço prestado à pátria e ao país.” O representante do Núcleo de Castelo Branco salientou que: “Este monumento não apaga a dor dos combatentes e das suas famílias, mas é um permanente reavivar da memória de todos, para que tenhamos consciência da necessidade imperativa de evitar a guerra, sendo também espaço de respeito e meditação, um espaço vivo e simbólico para a população de Toulões.”
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objetivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de ações de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a proteção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objetivos, nomeadamente no que respeita à adoção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por atos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e direto dos seus associados.

Partilhe!
Artigo anteriorSEIXAL – Festas Populares da Amora
Próximo artigoManteigas – 84.º Aniversário
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objetivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de ações de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a proteção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objetivos, nomeadamente no que respeita à adoção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por atos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e direto dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here