O Núcleo de Cantanhede comemorou no passado dia 02 de junho o seu 6.º aniversário. As comemorações iniciaram-se com um almoço-convívio e que contou com a presença do Presidente da Liga dos Combatentes – TGen Chito Rodrigues, do MGen Idílio Freire, Presidente da Assembleia do Núcleo de Cantanhede, entre outras individualidades convidadas para o evento. Com mais de uma centena de combatentes, familiares e amigos, o almoço decorreu numa salutar camaradagem, sendo visível a satisfação de todos os intervenientes.
Seguidamente e em parceria com a Junta da União das Freguesias de Portunhos e Outil, realizou-se a cerimónia de inauguração de um Monumento aos Combatentes da Guerra Colonial 1954-1975, nascidos e convocados na Freguesia de Outil. As cerimónias foram presididas pelo Tenente-general Joaquim Chito Rodrigues, contando ainda com a presença do Major General Idílio Freire, da Presidente da CM de Cantanhede, Dr.ª Helena Teodósio, do Presidente da Assembleia Municipal, Dr. João Moura, do Vice-Presidente da Câmara Dr. Pedro Cardoso, Vereadores Dr. Adérito Machado e Enf.ª Célia Simões, Presidente da Junta da União das Freguesias de Portunhos e Outil Eng. Paulo Santos, do Presidente do Núcleo de Cantanhede, Sargento-chefe Mário Cavadas, entre outras individualidades do Concelho. Estiveram ainda presentes ou representados os Presidentes dos Núcleos de Coimbra, Oliveira do Bairro e Associação dos Filhos da Escola de Cantanhede, fazendo-se acompanhar dos respectivos Guiões.
Na sequência da Cerimónia foi inaugurado o Monumento aos Combatentes da Guerra Colonial 1954-1975 alusivo aos Combatentes atrás referidos. Procedeu-se ao descerramento, inauguração e bênção do monumento, tendo sido proferida uma prece religiosa pelo Pároco da freguesia, padre João Pedro. Depois de depositada uma coroa de flores no monumento, uma secção de militares prestou homenagem aos mortos tombados em combate, tendo um terno de Clarins executado os toques de Silêncio, Homenagem aos mortos e Alvorada. Usaram depois da palavra o Presidente da Assembleia do Núcleo, o Presidente da União das Freguesias de Portunhos e Outil, a Presidente da Câmara Municipal, e a finalizar do Presidente da Liga dos Combatentes.
Estes discursos para além de felicitar o Núcleo de Cantanhede pelo seu 6.º aniversário e por todo o desempenho que tem tido em prol dos combatentes do Concelho de Cantanhede, enalteceram a iniciativa da União de Freguesias de Portunhos e Outil por este reconhecimento público aos Combatentes, e foram também carregados de simbolismo e, apelo a um maior reconhecimento e dignificação para com todos os Combatentes. De seguida procedeu-se à imposição de condecorações. Foi imposta a medalha de Comportamento Exemplar Grau-Ouro aos seguintes Militares: SCh- Mário Humberto de Jesus Cavadas Saj – Jorge Manuel dos Reis Pereira Saj – Óscar Ferreira Pascoal No Seguimento da cerimónia foram agraciados com a medalha comemorativa das campanhas das Forças Armadas, os seguintes Combatentes: Manuel Póvoa da Cruz – Angola – 1961-1963 Manuel Toito – Moçambique – 1963-1965 Carlos Pinto – Angola – 1963-1966 António Recacho – Moçambique- 1968-1970 Januário Couto- Angola – 1972-1974 O Núcleo de Cantanhede da Liga dos Combatentes e União das Freguesias de Portunhos e Outil, homenagearam com medalhas de reconhecimento todos os combatentes de Outil e Portunhos. Foram ainda impostas medalhas a título póstumo. Pelo Professor Eduardo Lucas foi oferecido à Liga dos Combatentes, à Câmara Municipal de Cantanhede e à Junta da União das Freguesias de Portunhos e Outil, um livro com a história em fotografia da participação dos Combatentes na Guerra Colonial. Para terminar as cerimónias fez-se ouvir o Hino da Liga dos Combatentes, seguido de um lanche convívio entre todos os presentes. Era visível no semblante de todos e mais propriamente nos combatentes agraciados, a satisfação pelo tardio, mas merecido reconhecimento.
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-1
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-2
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-3
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-4
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-5
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-7
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-8
  • Cantanhede-Monumento-Outil-2019-9
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorEdição 388 – junho 2019
Próximo artigoLisboa – A PM no Ultramar
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here