Cerimónia de Placa Memorial, alusiva à Evocação, Homenagem, Honra e Glória aos Dois Antigos Alunos da Escola Secundária Sá da Bandeira e Combatentes do CEP – No passado dia 10 de maio de 2019, o Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes realizou-se uma cerimónia junto ao Memorial localizado no interior da Escola Secundária Sá da Bandeira, em Santarém. Cerimonial Alusivo à Evocação, Homenagem, Honra e Glória de dois Antigos Alunos desta Escola Secundária, tendo sido também Combatentes Compatriotas que pertenceram ao Corpo Expedicionário Português (CEP). Nomes que se encontram gravados na pedra, tendo combatido no Teatro de Operações em França, onde acabaram por Tombar no Campo de Batalha, dando assim a própria vida por Portugal. Francisco de Sousa Silva Frias Natural da Freguesia de São Salvador, Concelho de Santarém, com a Patente de Capitão, pertenceu ao 4º Grupo de Metralhadoras do Estado Maior de Infantaria do Exército. Tombou em Combate no dia 12 de Agosto de 1917. Encontra-se sepultado no Cemitério Militar Português de Richebourg – França, no Talhão A, Fila 4, Coval 23. António Madeira Montez Júnior, Natural da Freguesia de Marvila, Concelho de Santarém, também com a Patente de Capitão, tendo pertencido ao 5ª Grupo de Metralhadoras do Exército. Tombado em Combate em 09 de Abril de 1918, durante a dura Batalha de La Lys. Encontra-se sepultado no Cemitério Militar Português de Richebourg – França, no Talhão C, Fila 6, Coval 24. Cerimónia esta também em louvor à comemoração do 175º Aniversário de fundação desta Escola Secundária Sá da Bandeira de Santarém. Aniversário sido contabilizado em finais de abril. Evento que contou com o alto patrocínio do referido Estabelecimento de Ensino e do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes. Cerimónia que teve inicio às 10H30, em que cuja Anfitriã foi a Ex.ª Sr.ª Diretora, Dr.ª Maria Adélia Esteves, do Agrupamento de Escolas Sá da Bandeira, Pólo onde se encontra esta Escola Secundária inserida.
Na cerimónia fizeram presença, A Diretora do Agrupamento de Escolas Sá da Bandeira, a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santarém, o Presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes, devidamente acompanhado pelos restantes membros da Direção do Núcleo de Santarém, Porta Guião, vários Docentes, o Reverendíssimo Pároco da Paróquia de Santarém, para além das cerca de duas centenas de discentes.
Tendo-se também associado ao evento alguns Sócios Combatentes, familiares e amigos que se dignaram deslocar-se ao local, a fim de puderem assistir à tão Justa, Nobre e Digna Cerimónia.
Após a chegada de todas as entidades principais, deu-se início à sequência do Guião Protocolar, devidamente preparado com extremo rigor para que a conduta cerimonial fosse irrepreensível. A cerimónia foi apoiada por uma Força, constituída por uma Seção de Militares do Regimento de Manutenção, devidamente acompanhada por um Terno Clarins pertencente à Fanfarra do Exército.
No decurso da cerimónia fizeram uso da palavra, a Ex.ª Sr.ª Diretora do Agrupamento de Escolas Sá da Bandeira, tendo estas intervenções sido encerradas com o Presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes, Sargento-Chefe de Cavalaria, Carlos Sá Pombo.
A Cerimónia continuou, com a deposição de flores junto ao Memorial, efetuada por dois alunos do 11º Ano desta Escola, seguindo-se a “Homenagem aos Mortos caídos em Combate”. Cerimonial que contou com o seguinte sequencial: Toque de Silêncio, após brevesz segundos, surgiu o Toque de Homenagem aos Mortos caídos nos Campos de Batalha. Seguidamente, em profundo recolhimento foram recordados com orgulho e saudade, “aqueles que por Obras Valorosas, se vão da Lei da Morte Libertando”. Momento que foram chamados os nomes os dois Antigos Alunos e Combatentes, integrados o Corpo Expedicionário Português, gritando-se individualmente, a palavra: “Presente”.
O Reverendíssimo Padre Francisco Ruivo, efetuou uma prece, seguida de um pequeno período de profundo silêncio, terminando-se com a entoação do Toque de Alvorada, significando um Hino de Esperança e Fé na Convição de que o Esforço e Sacrifício dos nossos Combatentes, não fora em Vão.
Seguiu-se no Auditório desta Escola Secundária Sá da Bandeira, a apresentação de uma “Palestra” constituída por duas temáticas: 1º Tema) “A Liga dos Combatentes e a Dinâmica Atual do Núcleo de Santarém”. Orador: Presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes. 2º Tema) “I Guerra Mundial, Queda da India Portuguesa e Guerra do Ultramar”, tendo a mesma ficado ao encargo do Ilustre Associado do Núcleo de Santarém, Coronel Tirocinado de Cavalaria, António Garcia Correia.
Tendo-se encerrando-se toda esta jornada evocativa e de homenagem que decorreu ao longo de todo o período da manhã do passado dia 10 de maio, na Escola Secundária Sá da Bandeira, em Santarém, num ambiente dotado de muita dignidade, enorme envolvência de sentimento, coesão e respeito, embutido nos mais Altos Valores Pátrios, Culturais e Espirituais a que os Nossos Combatentes e História e Portugal detém e merecem. Estrita preocupação da cabal integração destes valores culturais na educação para a cidadania, como forma de preservação dos valores culturais nacionais, com especial foco a estas gerações, assim como na passagem do testemunho das vindouras.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorSeixal – Cerimónia militar
Próximo artigoO Regresso às Origens
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here