Oliveira de Azeméis- Livro Portugal e a Grande Guerra…

0
199
«Portugal e a Grande Guerra – A Participação dos Oficiais de Oliveira de Azeméis» – A convite da Autora Teresa Cruz Tubby, sócia da Liga dos Combatentes, o Núcleo marcou presença com toda a direção e alguns associados. Prestou apoio a nível material, com a cedência de alguns itens da época (marmita, cantil, máscara de gás, mochila), algumas fotografias e na divulgação do evento.
Estiveram presentes diversos convidados tais como a Dr.ª Ana de Jesus, Vereadora da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Prof. Manuel Alberto, Presidente da União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, Jorge Castelo Branco, da Editora “sedapublicações”, Luís Quintino, escritor, entre outros.
O Presidente do Núcleo, convidado a usar da palavra, referiu, ser um orgulho para a Liga dos Combatentes, enquanto contribuintes e impulsionadores ativos na promoção da História, da Cultura e Conservação das Memórias, apoiar e colaborar com estas obras histórico-literárias, sobre um período com muito significado para todos os Portugueses e muito especialmente para todos os Combatentes.
Nesta partilha e evocação das memórias, referiu-se ainda aos Combatentes Oliveirenses da Grande Guerra, nomeadamente àqueles que fundaram a Delegação de Oliveira de Azeméis.
Sobre os Oficiais Oliveirenses, referiu muito particularmente o Dr. Aníbal Cardoso de Freitas, Fundador e 2º Presidente da Delegação (16/06/1933 a 31/07/1934), falecido no desempenho de funções.
A Autora fez um enquadramento histórico-político dos acontecimentos que levaram à Guerra, referiu que esta obra vem suprir uma lacuna regional, sobre um período negro que a maioria da população desse tempo viveu com angústia e desespero que agora, em tempo de paz, se torna difícil de imaginar. Referiu ainda esta obra ser também uma homenagem ao seu Avô e por isso já tem em preparação outra edição de Sargentos e Praças, onde Ele está incluído.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorBraga – Natal do Combatente
Próximo artigoCantanhede – Entrega bens no Banco de Recursos “Colmeia”
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here