10.11.2018 – No dia 10 de novembro, Alcácer do Sal celebrou o Dia do Armistício e evocou os soldados do concelho mortos na Grande Guerra, com uma concentração junto ao Memorial aos Combatentes, na avenida dos Aviadores, onde foi feita a deposição de uma coroa de flores. Na cerimónia esteve presente a direção do Núcleo de Alcácer do Sal, representantes da Câmara Municipal, da Assembleia Municipal, dos Bombeiros e da GNR e muitos sócios acompanhados pelos seus familiares, amigos e convidados. Também estiveram presentes duas senhoras francesas cujos avós combateram na Grande Guerra. Foi lida uma mensagem do Presidente da Direção Central da Liga dos Combatentes, Tenente-general Chito Rodrigues.
Na mesma cerimónia procedeu-se à imposição de condecorações a quatro combatentes no Ultramar. Foi atribuída a Medalha Comemorativa das Campanhas ao Primeiro-cabo Eurico José Sobral, ao Primeiro-cabo Leonel dos Santos Bispo, ao Soldado José Augusto Carradinha Fortunato e ao Primeiro-cabo Mário Inácio de Jesus.
Após a colocação das medalhas o Vice-presidente da Câmara Municipal, Manuel Vítor de Jesus, dirigiu algumas palavras em homenagem aos militares mortos na Grande Guerra e na Guerra do Ultramar e aos combatentes presentes na cerimónia. Uma das senhoras francesas, Helene Hekking, pediu a palavra para agradecer o auxílio que os soldados do Corpo Expedicionário Português prestaram aos seus avós e ao seu país.
A realização desta cerimónia teve a colaboração da sócia extraordinária Drª. Maria Antónia Lázaro, Sargento-ajudante José Baião e da União de Freguesias de Santa Maria do Castelo, Santiago e Santa Susana. No mesmo dia, o Núcleo de Alcácer do Sal da Liga dos Combatentes celebrou o seu 93.º Aniversário com um Almoço-convívio, onde estiveram presentes muitos sócios acompanhados pelos seus familiares, amigos e convidados.
  • Nucleo-Alcacer-Sal-10112018-1
  • Nucleo-Alcacer-Sal-10112018-2
  • Nucleo-Alcacer-Sal-10112018-3
  • Nucleo-Alcacer-Sal-10112018-4
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorFigueira da Foz – II Magusto
Próximo artigoSetúbal – Dia do Armistício – 2018
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here