Reunião Descentralizada da Direção Central da Liga Dos Combatentes com os Núcleos da Região Centro/Sul10.10.2018 – No passado dia 10 do corrente mês a Direção Central da Liga dos Combatentes, constituída pelo Presidente, General Chito Rodrigues, Secretário-geral Coronel Lucas Hilário, pelos Vogais Coronéis José Gardete e António Romero, Tenente-coronel José Pires Martins, Comandante Filipe Macedo, Arqt.º Eduardo Varandas e pelo Dr. António Correia, coordenador dos CAMPS, realizou uma reunião de trabalho, em Santarém, com os Núcleos da Região Centro/Sul, tendo por finalidade fazer o ponto de situação do seu Plano de Ação 2018 – 2021 e, ao mesmo tempo, auscultar as dificuldades e anseios que sentem estas estruturas locais da Liga dos Combatentes, na prossecução dos seus objetivos.
A reunião iniciou-se com as intervenções do Presidente do Núcleo anfitrião, Sargento-chefe Carlos Pombo e do Presidente da LC, tendo de seguida usado da palavra os representantes dos diferentes núcleos, para exporem os seus pontos de vista de que se destacam, entre outros, os relacionados com a prestação de assistência médica e psicossocial, quotização dos sócios, funcionamento da base de dados dos sócios, protocolos de colaboração com outras entidades e situação dos programas estruturantes.
Em síntese, podemos afirmar que se tratou de uma reunião muito profícua por proporcionar, quer à DC quer aos dirigentes dos núcleos presentes, a troca de informação de interesse relevante para a vida da Liga.
A DC não pode deixar de manifestar o seu agradecimento ao Núcleo de Santarém, pela forma solícita e empenhada demonstrada na organização deste evento e à Associação de Futebol de Santarém, pelas facilidades concedidas na cedência das suas instalações para a realização desta reunião de trabalho.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1921. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Partilhe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here