Os Combatentes rumaram mais uma vez ao Santuário de Fátima, no dia 26 do corrente mês, no âmbito da Peregrinação Anual, promovida pela Liga dos Combatentes. A presença dos Combatentes, acompanhados por muitos familiares, oriundos de todos os pontos do país, teve início junto à Capelinha das Aparições, onde se concentraram, conforme o Programa previamente estabelecido. Os Núcleos da Liga, compareceram em grande número (mais de meia centena), com os seus guiões, dirigindo-se, depois, em cortejo, até à Basílica da Santíssima Trindade, enquadrados pelos respetivos Presidentes e membros da Direção Central, Presidente General Chito Rodrigues; Secretário-geral Coronel Lucas Hilário; 1.º Vogal Administrativo Tenente-Coronel Pires Martins e pelos vogais Coronel José Maria Gardete, Arquiteto Eduardo Varandas e Coronel Pedro Romero.
Na Basílica da Santíssima Trindade foi celebrada a Eucaristia, pelas 11.00h, presidida pelo Padre Carlos Cabecinhas, Reitor do Santuário, acolitado por vários sacerdotes e diáconos. Antes da homilia, baseada na temática do evangelho, sobre as crianças e o seu exemplo cristão, o Reitor do Santuário Mariano teceu considerações muito elogiosas à Liga dos Combatentes e aos Combatentes por Portugal. De salientar também o apoio de vários Combatentes, que na sua qualidade de ministros extraordinários da comunhão, quiseram dar o seu contributo integrando-se no ato litúrgico de ministrar a comunhão aos muitos fiéis que se apresentaram para receber a Hóstia consagrada.
Terminada a cerimónia religiosa, os vários grupos presentes dirigiram-se aos restaurantes locais para saciar o corpo, tendo outros optado pelo almoço volante, ao ar livre, com o farnel que trouxeram consigo, regressando, aos seus destinos de origem, com a consciência do dever cumprido, depois desta jornada de reflexão espiritual, que vem já sendo uma característica marcante na vida da Liga dos Combatentes.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

Artigo anteriorBelmonte – Passeio a Viseu
Próximo artigoPeacekeeping Day
Liga dos Combatentes
A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here