No dia 15 de Abril de 2018, os Restos Mortais do 2.º Cabo Aquilino da Silva Gonçalves foram depositados em sepultura perpétua no cemitério de Ponte de São Vicente – Vila Verde – BRAGA, depois de trasladados de Angola para Portugal. O Núcleo de Braga da Liga dos Combatentes, através do seu Presidente e Guião do Núcleo, representaram a Direção Central da LC na cerimónia fúnebre, apresentando condolências à Família do Militar Tombado em Combate no ano de 1961 e depositando uma coroa de flores no local de inumação.
O Regimento de Cavalaria 6 – Braga, esteve presente com uma força militar que prestou honras militares à entrada do cemitério de Ponte de São Vicente, efetuou a guarda de honra no altar da Igreja Paroquial de Ponte de São Vicente e homenageou posteriormente com os toques de ordenança efetuados por um terno de clarins, a memória do Militar Tombado em Combate.
O processo conducente à trasladação dos restos mortais foi iniciado em finais de 2011, quando a Liga dos Combatentes conseguiu localizar e identificar a campa no antigo cemitério de Sassa, na província do Bengo, com recurso a diligências conduzidas por um antigo combatente radicado em Angola.
A ligação mantida pela LC com a família e em particular com a irmã do Militar Tombado, proporcionou a elucidação sobre a forma de concretizar o desiderato familiar de fazer regressar a solo Pátrio os restos mortais, processo que se revelou moroso mas foi conduzido pela irmã de Aquilino Gonçalves com determinação e vencendo muitos obstáculos, entre eles a angariação da verba inerente aos custos da trasladação dos restos mortais de seu irmão para a sua terra natal em Vila Verde – BRAGA.

Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here