No dia 08 de dezembro de 2017, a Direção do Núcleo da Liga dos Combatentes de Abrantes, a convite do Presidente da Câmara Municipal de Mação, participou na “Homenagem a Francisco Pedro Curado e aos combatentes Europeus e Africanos no centenário da Batalha de Mecula”, que decorreu pelas 16H00 no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira.
Francisco Pedro Curado era natural de Vale da Casa – Carvoeiro e foi um glorioso militar a quem os seus camaradas apelidaram de “O Condestável de Rovuma” ou ainda de “O grande Capitão”. Esta homenagem foi um reconhecimento publico do Município de Mação pelos atos heroicos, conhecidos e valorizados no nosso País e além fronteiras, que também contou com a colaboração da Junta de Freguesia do Carvoeiro, Câmara Municipal de Abrantes e Núcleo da Liga dos Combatentes de Abrantes.
Inserida neste evento decorreu a inauguração de uma exposição sobre Francisco Pedro Curado, à qual se seguiu a sessão de Evocação ao homenageado. Esteve presente no referido evento o Presidente da Liga dos Combatentes, General Joaquim Chito Rodrigues, que durante a sessão de evocação proferiu algumas palavras alusivas ao ato.
Liga dos Combatentes
Author: Liga dos Combatentes

A LIGA DOS COMBATENTES, inicialmente designada por Liga dos Combatentes da Grande Guerra, foi fundada em 1923. Constituem objectivos da LIGA DOS COMBATENTES: a. Promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; b. Promover o prestígio de Portugal, designadamente através de acções de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; c. Promover a protecção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios; d. Cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objectivos, nomeadamente no que respeita à adopção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por actos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; e. Criar, manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e directo dos seus associados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe o seu comentário!
Please enter your name here